sábado, 1 de julho de 2017

Wagner Moura fala sobre infância pobre e 'escravidão' no interior da Bahia

'As pessoas não têm ideia de que a escravidão existe', disse o ator baiano em entrevista à Reuters.

O ator baiano Wagner Moura, 41 anos, contou histórias sobre sua infância pobre no interior da Bahia e sobre como o Brasil trata do tema do trabalho escravo, em entrevista à agência de notícias Reuters. Moura, que ficou famoso no Brasil por peças teatrais, novelas e filmes, agora é é embaixador da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e ganhou notoriedade mundial ao estrelar a série 'Narcos' (Netflix), interpretando o narcotraficante colombiano Pablo Escobar.
O baiano contou que viu a escravidão ao seu redor, mas como muitas pessoas, ele acreditava ser normal. "Eu cresci testemunhando muitas pessoas trabalhando em condições horríveis e não sendo pagas, trabalhando por comida ou um lugar para dormir. Eu cresci pensando que esse tipo de coisa era normal", disse à Reuters. 



O ator baiano Wagner Moura, 41 anos, contou histórias sobre sua infância pobre no interior da Bahia e sobre como o Brasil trata do tema do trabalho escravo, em entrevista à agência de notícias Reuters. Moura, que ficou famoso no Brasil por peças teatrais, novelas e filmes, agora é é embaixador da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e ganhou notoriedade mundial ao estrelar a série 'Narcos' (Netflix), interpretando o narcotraficante colombiano Pablo Escobar.
O baiano contou que viu a escravidão ao seu redor, mas como muitas pessoas, ele acreditava ser normal. "Eu cresci testemunhando muitas pessoas trabalhando em condições horríveis e não sendo pagas, trabalhando por comida ou um lugar para dormir. Eu cresci pensando que esse tipo de coisa era normal", disse à Reuters.